CATEGORIAS
Área de Atuação
Artigos
Links Úteis
Notícias
 
 
TELEFONE:
(81) 3722-1031
 
E-MAIL
contato@holandaesampaio.com.br
 
FALE CONOSCO
Atendimento On-line
 
     Boa Madrugada, hoje é dia 20 de Junho de 2019
Notícias - STJ decide que a concessão da pensão por morte deve ser regida pela lei vigente à época do óbito
 
STJ decide que a concessão da pensão por morte deve ser regida pela lei vigente à época do óbito

"A Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) não acolheu pedido de viúvo que pretendia receber pensão em decorrência do falecimento de sua esposa, ocorrido em 1989. O colegiado entendeu que, ocorrido o óbito na vigência do Decreto 89.312/84, o benefício será devido ao marido somente se ele for inválido.

Segundo o relator do recurso, ministro Herman Benjamin, a concessão de pensão por morte, devida a dependentes de segurado do INSS falecido, deve observar os requisitos da lei vigente à época do óbito, não se aplicando legislação posterior, ainda que mais benéfica.

No caso, o cônjuge da falecida impetrou mandado de segurança para conseguir o benefício de pensão por morte. Alegou que, à época do falecimento de sua esposa, “não ficou na posse dos documentos dela, e era jovem e produtivo, não formulando requerimento administrativo no INSS para ser beneficiado com a pensão por morte”.

Sustentou ainda que, anos depois, “obteve novas informações” e formulou o requerimento do benefício. O INSS, entretanto, negou o pedido com o argumento de que, no tempo do óbito, o cônjuge do sexo masculino não era contemplado como dependente para fins de concessão da pensão por morte.

Igualdade

A primeira instância acolheu o pedido, sob o entendimento de que a Constituição Federal de 1988, em seu artigo 201, assegurou a pensão por morte indistintamente ao segurado homem ou mulher, não restando dúvidas quanto à autoaplicabilidade do citado artigo.

O Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) reformou a sentença. Segundo o tribunal, a norma de regência da pensão por morte observa a data do óbito, momento em que devem estar presentes todas as condições necessárias para o dependente adquirir o direito à prestação.

No caso, aplica-se o disposto no Decreto 89.312, que diz que o benefício só pode ser assegurado a marido inválido.

Inconformado, o viúvo recorreu ao STJ."
Fonte: STJ - http://www.stj.jus.br/sites/STJ/default/pt_BR/Comunica%C3%A7%C3%A3o/Not%C3%ADcias/Not%C3%ADcias/Concess%C3%A3o-de-pens%C3%A3o-por-morte-deve-observar-lei-vigente-%C3%A0-%C3%A9poca-do-%C3%B3bito

 
Sobre
- O Escritório
- Localização
- Contato
Mais Informações
- Área de Atuação - Artigos
- Links Úteis - Notícias
Holanda e Sampaio
Advogados

Av.Londres, n. 170, Sala 05, Bairro Universitário, Caruaru-PE.

 
Holanda e Sampaio - Todos os direitos reservados.